Segurança e consentimento do Open Banking

Open Banking

O que é Open Banking, na prática?

Um modelo bancário centrado no cliente que transforma serviços financeiros tradicionais em um novo modelo econômico digital!

O princípio do Open Banking está baseado em abrir o leque de opções disponíveis para o consumidor e permitir que ele tenha mais liberdade para levar suas informações financeiras para onde quiser. Para isso acontecer, é necessário adotar APIs abertas, ou seja, tecnologia que permite a criação de um ecossistema de produtos e serviços financeiros ao redor das instituições bancárias.

Por enquanto, o Banco Central estuda as possibilidades de delinear esse sistema garantindo a segurança em todo o processo.

Por meio de soluções de segurança, ofereça uma experiência contínua de acesso a seus clientes, independente de ser aplicações próprias ou de terceiros. Certifique-se de que as pessoas certas tenham o acesso ideal e realize a gestão da jornada de Privacidade (LGPD).

Quais as vantagens do Open Banking?

  • Redução de custos: APIs abertas permitem um sistema integrado, no qual é possível cortar intermediários e tornar processos mais rápidos e menos custosos.
  • Mais ofertas: o Open Banking simplifica a entrada para novos serviços e produtos, pois promove um ambiente com mais opções para o consumidor.
  • Mais autonomia para os clientes: ao migrar entre instituições, pelo menos parte dessas informações do cliente “se perde”. Com o Open Banking, o cliente não fica preso a esse sistema de fidelidade com a primeira instituição.

Aproveite nossos conteúdos!

Conheça os principais desafios do Open Banking.

Quais são os pontos de atenção em segurança ligados ao Open Banking?

O primeiro passo na adoção do Open Banking é garantir um ambiente seguro e ter mecanismos de controle, que realmente deem autonomia aos clientes.

Nas tratativas de acesso e transações do Open Banking a segurança e a gestão do consentimento são primordiais e, ao mesmo tempo, complexas de se controlar dando o conforto necessário ao usuário. Além disso, a Instituição financeira é responsável por autenticar esse usuário da melhor maneira possível e junto com a Fintech coletar os consentimentos e manejar as demandas dos usuários.

A IDEssentials oferece know-how e soluções tecnológicas chave para suportar as instituições financeiras na adoção do Open Banking como modo operante em seus negócios de maneira segura.

Exemplo de funcionamento
do Open Banking

Para isso, esses são os pontos que a IDEssentials apoia:

  • Orquestração de Multifator de Autenticação;
  • Autenticação adaptativa;
  • One Time Password;
  • Análise de risco do acesso por comportamento, geolocalização e deviceDNA;
  • Apoio na contenção de fraudes;
  • Integração com soluções de biometria do mercado;
  • Integração com soluções diversas de autenticação forte do mercado;
  • Coleta de consentimentos;
  • Versionamento de termos de uso;
  • Governança de privacidade;
  • Auditoria de acessos e consentimentos.

Open Banking na arquitetura de Secure Digital Banking

Arquitetura Macro

Agende uma reunião

Inscreva-se na nossa newsletter