O Privacy Manager oferece em sua plataforma um gerenciamento integrado aos riscos aos quais as organizações estão expostas quanto ao uso dos dados e controle dos termos de uso e consentimento. Essa visão ampla permite a seguridade das operações feitas com as informações dos titulares, ou seja, uma maior governança de consentimentos.

Na solução é possível criar termos de consentimento, ação em que são configurados nome, texto a ser apresentado ao titular e a data de expiração. Essa data é um dos fatores constantemente monitorados pela gestão de riscos presente na solução, havendo diferentes níveis de alerta dependendo dos fatores agravantes, sendo o tempo restante para a expiração um deles.

O Privacy Manager também permite:

  • Criação dos processos de negócio (ou serviços) executados pela empresa para monitoramento dos fluxos de trabalho que ocorrem em cada um deles. Com o nome do dado do usuário e uma expressão regular de validação são criados os PIIs (Informações Pessoalmente Identificáveis), que, por sua vez, são monitorados nos fluxos.
  • Relação entre os fluxos de trabalho e os PIIs, permite o monitoramento de quais processos estão em atenção quando algum dos alertas é ativado, ou ainda quando o titular decide interagir com a base e modificar ou excluir seus dados.

Diariamente são realizados processos de cadastro, fidelidade ou serviços nas organizações, e para cada um desses processos deve haver um respectivo mapeamento dos fluxos de dados e outras informações envolvidas, aumentando o controle interno. Além do controle dos dados e metadados, o uso de cofre de senhas, de criptografia ou outras medidas de segurança são levadas em conta para a definição do nível de risco.

A interface do Privacy Manager é limpa e dinâmica, mas a facilidade de uso que proporciona não reflete a robustez da solução. Ainda sob o espectro de governança, no menu Logs & auditoria é possível preparar os relatórios para envio à Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD), indicando em detalhes quais são os dados utilizados, os termos consentidos, onde estão armazenados, entre outras informações relevantes à conformidade requerida pela lei.

A auditoria também pode ser usada para conduzir decisões internas da empresa que precisam levar em conta os fluxos de trabalho com dados de titulares. Essa incorporação facilita a visualização das pautas discutidas, a reengenharia dos processos e a governança de consentimentos.

Ou conheça as vantagens para o DPO no Privacy Manager.